open eyes

segunda-feira, 25 de abril de 2011

talvez das mais longas. maior do que aquelas que podemos literalmente pisar, nem que sejam de quilómetros de comprimento. todos temos aquelas alturas, em que estamos demasiado vazios. vazios a ponto de não conseguir dizer nada, de quase não nos conseguirmos aperceber do conceito sentir. talvez, esse seja um sinal de que atingimos o nosso ponto de saturação. estamos oficialmente demasiado cheios e no meio de um dilema emocional. nunca fui boa a lidar com pessoas (pseudo-)perfeitas !

1 comentário: